8° ano - Problemas e soluções trazidos pela ciência



ATIVIDADES
Para iniciar o tema “Problemas e soluções trazidos pela ciência”, vamos refletir sobre a música “Cérebro eletrônico”(Gilberto Gil), interpretada por Marisa Monte, para ouvir e responder as seguintes questões.
O cérebro eletrônico faz tudo
Faz quase tudo
Faz quase tudo, mas ele é mudo.
O cérebro eletrônico comanda
Manda e desmanda
Ele é quem manda, mas ele não anda
Só eu posso pensar que Deus existe
Só eu
Só eu posso chorar quando estou triste
Só eu
Eu cá com meus botões de carne e osso
Eu falo e ouço
Eu penso e posso
Eu posso decidir se vivo ou morro
Porque sou vivo
Vivo pra cachorro e sei
Que cérebro eletrônico nenhum me dá socorro
No meu caminho inevitável para a morte
Porque sou vivo
Sou muito vivo e sei
Que a morte é nosso impulso primitivo e sei
Que cérebro eletrônico nenhum me dá socorro
Com seus botões de ferro e seus
Olhos de vidro

1)A letra da canção fala sobre coisas que um cérebro eletrônico não pode fazer. Fala ainda de um problema que essa máquina não ajuda a resolver. Anote todas essas coisas em seu caderno.

2)Escreva quais as vantagens e as desvantagens das tecnologias em nossas vidas.

Respostas esperadas
1)Segundo a musica, o cérebro eletrônico não fala (“ele é mudo”); não se locomove (“ele não anda”); não pensa (Só eu posso pensar que Deus existe”); não tem sentimento (Só eu posso chorar quando estou triste”); não tem corpo (“Eu cá com meus botões de carne e osso”); não ouve (“Eu falo e ouço”); não pensa (“Eu penso e posso”); não escolhe (“Eu posso decidir se vivo ou morro”); não vive (“Eu sou vivo”). O problema que essa maquina não consegue resolver é o sentimento de solidão em relação à morte (“Cérebro eletrônico nenhum me dá socorro no meu caminho inevitável para a morte”)
2)Vantagens e desvantagens: os medicamentos com seus efeitos colaterais; as maquinas utilizadas na agricultura e o desemprego no campo; a geração de energia elétrica e seus impactos no ambiente; os inseticidas que combatem as pragas e poluem o solo e a água. A velocidade do trabalho passa a ser definida não mais pelo homem, mas pelo ritmo das maquinas. O tempo de comer e dormir são definidos pelo horário de funcionamento das fabricas. A industrialização tem também como consequência o inchaço das cidades, paralelamente ao esvaziamento das áreas rurais. Com a chegada da informática e das telecomunicações, que aceleram o fluxo das informações e das transformações na sociedade.
(adaptação do livro didático “Construindo Consciências” da Editora Scipione, 9º ano, pg. 165, 2010)
E para finalizar leitura e discussão compartilhada do texto “Ciência que se faz, ciência que se aprende”: Ciência e Sociedade, pg. 12 a 16, do livro didático “Ciências: Atitude e Conhecimento, editora FTD, 9º ano, 2009.

Nenhum comentário: